PAVLOVA: UMA SOBREMESA COM CARA DE AMOR DE MÃE

07 de maio de 2015

Imprimir post
Share

Ícone seta Voltar para o blog

PAVLOVA: UMA SOBREMESA COM CARA DE AMOR DE MÃE

O que esperar de uma sobremesa que tem nome de bailarina? Que seja espetacular! Na pronúncia, a pavlova faz acrobacias com a língua, mas na hora de degustar dissolve delicadamente na boca. É uma sobremesa com cara de afeto, perfeita para compartilhar com quem se ama, como no Dia das Mães ou encontro com a turma de amigos.

A origem do nome é tão peculiar quanto o surpreendente sabor. Em 1926, Anna Pavlova, uma renomada bailarina russa, fez uma turnê pela Austrália e Nova Zelândia, onde interpretou o papel de protagonista em A morte do cisne. Em sua homenagem foi criada a sensacional sobremesa, que rapidamente conquistou o papel de estrela no mundo da culinária. O único porém, é que os dois países disputam até hoje a autoria da receita. Quem inventou ao certo não se sabe, mas o segredo dessa maravilha, vamos revelar agora para você.

As ondas do merengue, o colorido vibrante e o brilho das frutas elevam a pavlova ao status de uma arte visual. Uma festa para os sentidos, feita para ser degustada ainda fresca. Ficou encantada? Não fique aí suspirando, anote tudinho e prepare-se para ser aplaudida de pé com essa receita!

INGREDIENTES

Para o suspiro

6 claras de ovos (os ovos precisam estar em temperatura ambiente)

300g de açúcar de confeiteiro

6 gotas de limão

2 colheres de sopa de maisena

1 colher de sobremesa de vinagre branco

Uma pitada de creme tártaro (é opcional, é um ingrediente que reduz o tempo de preparo e facilita obter a consistência. É encontrado em lojas de artigos para festas e alguns supermercados).

Essência de baunilha a gosto

Para o creme

200g de cream cheese (em temperatura ambiente)

200g de iogurte natural (sem açúcar)

80g de açúcar

15 ml de sumo de limão-siciliano

15 ml de essência de baunilha

Raspa de ½ limão-siciliano (só a parte verdinha, cuidado para não raspar a parte branca, porque adiciona um sabor amargo).

Manteiga para untar

pavlova1

O que esperar de uma sobremesa que tem nome de bailarina? Que seja espetacular! Na pronúncia, a pavlova faz acrobacias com a língua, mas na hora de degustar dissolve delicadamente na boca. É uma sobremesa com cara de afeto, perfeita para compartilhar com quem se ama, como no Dia das Mães ou encontro com a turma de amigos.

 pavlova7

A origem do nome é tão peculiar quanto o surpreendente sabor. Em 1926, Anna Pavlova, uma renomada bailarina russa, fez uma turnê pela Austrália e Nova Zelândia, onde interpretou o papel de protagonista em A morte do cisne. Em sua homenagem foi criada a sensacional sobremesa, que rapidamente conquistou o papel de estrela no mundo da culinária. O único porém, é que os dois países disputam até hoje a autoria da receita. Quem inventou ao certo não se sabe, mas o segredo dessa maravilha, vamos revelar agora para você.

pavlova3

As ondas do merengue, o colorido vibrante e o brilho das frutas elevam a pavlova ao status de uma arte visual. Uma festa para os sentidos, feita para ser degustada ainda fresca. Ficou encantada? Não fique aí suspirando, anote tudinho e prepare-se para ser aplaudida de pé com essa receita!

 pavlova20

INGREDIENTES

Para o suspiro

6 claras de ovos (os ovos precisam estar em temperatura ambiente)

300g de açúcar de confeiteiro

6 gotas de limão

2 colheres de sopa de maisena

1 colher de sobremesa de vinagre branco

Uma pitada de creme tártaro (é opcional, é um ingrediente que reduz o tempo de preparo e facilita obter a consistência. É encontrado em lojas de artigos para festas e alguns supermercados).

Essência de baunilha a gosto

 pavlova

Para o creme

200g de cream cheese (em temperatura ambiente)

200g de iogurte natural (sem açúcar)

80g de açúcar

15 ml de sumo de limão-siciliano

15 ml de essência de baunilha

Raspa de ½ limão-siciliano (só a parte verdinha, cuidado para não raspar a parte branca, porque adiciona um sabor amargo).

Manteiga para untar

 pavlova9

MATERIAL

Forma

Papel-manteiga

PARA DECORAR

Você pode variar os ingredientes e usar as frutas da estação ou as que tiver acesso, mas segue nossa sugestão:

Frutas vermelhas (morangos, cerejas, framboesas…)

15 ml de sumo de maracujá

Raspas de chocolate meio amargo

Folhinhas de hortelã (opcional)

COMO FAZER O SUSPIRO

Vamos começar pelo merengue. É importante que a vasilha onde vai bater as claras esteja limpinha e sequinha, para não dificultar a aeração das claras. Você pode bater em uma batedeira ou com um fouet (batedor manual).

Use os ovos em temperatura ambiente, coloque as claras na tigela, bata até formar espuma e adicione o sumo de limão. Vá acrescentando o açúcar lentamente, enquanto estiver batendo.  É essencial bater por tempo suficiente, até adquirir o pico firme. Se sua cidade tiver lojas de artigo de festa ou supermercados que vendam creme tártaro, compre e adicione uma pitada à mistura, enquanto estiver batendo. É um excelente truque culinário que faz as claras ficarem mais estáveis, além delas baterem mais rápido e não passarem do ponto.

Quando a mistura estiver no ponto firme, acrescente maisena, baunilha a gosto e o vinagre branco. Dê uma breve misturada, só para incorporar os ingredientes e desligue a batedeira.

Preaqueça o forno a 150º.

Em uma forma untada com manteiga, coloque papel-manteiga, e unte também a parte de cima do papel com um pouco manteiga, para evitar que o merengue grude. Coloque o merengue sobre o papel-manteiga, formando um disco arredondado, não precisa ser muito certinho. Leve ao forno preaquecido para assar por aproximadamente uma hora ou 1h15, até você perceber que ele está crocante por fora. O tempo de cozimento vai depender da potência do seu fogão, então é bom ficar ligada.

Quando estiver pronta, desligue o forno e deixe a porta entreaberta, para que a pavlova esfrie dentro do forno.  Esse passo é essencial para o resultado final. Nesse momento é importante precaução, para não ter a presença de crianças ou animais domésticos no ambiente e evitar acidentes. Todo cuidado é pouco, não é mesmo?

A pavlova fica sequinha por fora e macia por dentro, com a textura de suspiro.

COMO FAZER O CREME

Enquanto o merengue estiver assando, aproveite para fazer o recheio.

Em uma vasilha, coloque o cream cheese que deve estar em temperatura ambiente, o iogurte natural, o açúcar, a baunilha, as raspas e o sumo do limão-siciliano. Bata tudo com um fouet (batedor manual), até formar um creme homogêneo e reserve na geladeira.

O creme vai ficar com uma textura leve, contrastar com o açúcar do suspiro e enriquecer o sabor.

COMO MONTAR

Deixe para montar na hora de servir, para não comprometer o sabor do suspiro.

Com a pavlova em temperatura ambiente, coloque o creme por cima dela.  Decore com frutas vermelhas e raspas de chocolate. Jogue um pouco do sumo de maracujá por cima, que é opcional.

Você pode variar a decoração e usar as frutas que quiser. O ideal é consumir a pavlova fresca, para preservar a crocância do suspiro.

#DicaEsperta Como na receita você só vai usar as claras, aproveite as gemas para outro prato, como brigadeirão, por exemplo. Fique ligada, que em breve daremos uma receita facílima de brigadeirão aqui no nosso blog.

#DicaEsperta Em vez de um único disco de pavlova, você pode fazer dois do mesmo tamanho ou um maior e outro menor. Nesse caso, coloque o recheio do creme no meio e por cima.

#DicaEsperta No lugar do cream cheese, se desejar, opte por uma cobertura tradicional de chantilly. É só bater uma xícara de creme de leite fresco e ¼ de xícara de açúcar e depois usar na cobertura. Se usar o chantilly que vende pronto para bater, não precisa adicionar o açúcar. Nesse caso é importante colocar a cobertura na hora de servir e consumir imediatamente.

Fonte das imagens:
Imagem 3: tasteandtell.blog.com
Imagem 5: elle.fr
Imagem 10: natashaskitchen.com
Imagem 12: chow.com
Imagem 15: hungryaustralian.com

Deixe seu comentário

INSCREVA-SE NA NOSSA NEWSLETTER